Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2015

Importante para sua boa navegação pelo blog.

Importante para sua boa navegação pelo blog.

O LOBO E O CABRITINHO.

Imagem
Certo dia, um lobo viu um cabritinho que brincava correndo pelos campos longe da casa dos seus pais. Sem nenhuma demora partiu correndo para pegá-lo. Mas o cabritinho, assustado e com muito medo, correu desesperadamente para salvar-se. Depois de muito correr, já cansado, decidiu dialogar com o lobo para que ele desistisse de devorá-lo. Parou e disse:                    - Espere senhor lobo; já compreendi que não tenho como escapar de suas garras, mas antes de ser devorado quero lhe fazer  um último pedido.                    - Está bem - disse o lobo - se for possível vou atender o seu pedido. O que você quer?                    - É que eu gosto muito de música e sempre trago comigo uma gaitinha; gostaria que, antes de me devorar, alegre meus últimos momentos tocando a gaita para eu dançar.                    - Está certo. Dê-me essa tal gaita que tocarei. Vamos logo com isso porque estou com fome.                    O lobo começou a tocar e o cabritinho dançou alegremente, indo e vind…

Valsa das pulgas. Leia poesia para suas crianças.

Imagem
As pulgas dançando no meio da rua Dão pulos e pulos sob a luz da Lua
No baile das pulgas o passo é assim: Três passos para o lado e entra o cupim.
Cupim dá três passos pra lá e pra cá E a pulga contente toma guaraná.
Quem toca a valsinha é o sabiá E as pulgas pulando pra lá e pra cá.
O tatu-bolinha já chega rolando: "É o passo moderno, estou inventando!"
Com passos miúdos chega a joaninha De vestido curto cheio de bolinhas.
Um pra lá, um pra cá São as pulgas dançando, à luz do luar.
Lá no longe A luz da Lua alumia...
Vento venta no quintal. Seca as roupas do varal...
Ruth Rocha

Maneiras de dizer as coisas - Comunicação.

Imagem
Uma sábia e conhecida anedota árabe diz que, certa feita, um sultão sonhou que havia perdido todos os dentes. Logo que despertou, mandou chamar um adivinho para que interpretasse seu sonho. - Que desgraça, senhor! Exclamou o adivinho. Cada dente caído representa a perda de um parente de vossa majestade. - Mas que insolente _ gritou o sultão, enfurecido. Como te atreves a dizer-me semelhante coisa? Fora daqui! Chamou os guardas e ordenou que lhe dessem cem acoites. Mandou que trouxessem outro adivinho e lhe contou sobre o sonho. Este, após ouvir o sultão com atenção, disse-lhe: - Excelso senhor! Grande felicidade vos esta reservada. O sonho significa que haveis de sobreviver a todos os vossos parentes. A fisionomia do sultão iluminou-se num sorriso, e ele mandou dar cem moedas de ouro ao segundo adivinho. E quando este saia do palácio, um dos cortesãos lhe disse admirado: - Não é possível! A interpretação que você fez foi a mesma que o seu colega havia feito. Não entendo porque ao primeiro el…

Pinóquio — Uma História Mágica. Com atividades de desenho e contação de histórias.

Imagem
Era uma vez um velho carpinteiro chamado Gepeto que vivia numa aldeia italiana. Ele não tinha filhos, desta forma passava seu tempo construindo bonecos. Um dia, Gepeto construiu um boneco de madeira muito bonito,quase perfeito e colocou o nome de Pinóquio e pensou alto: — Serás o filho que não tive, teu nome será Pinóquio. À noite, pediu para as estrelas que seu boneco virasse um menino de verdade e, enquanto Gepeto dormia Pinóquio recebeu a visita da fada Azul que tocando Pinóquio com a varinha mágica disse: — Vou-te dar vida, boneco. Mas deves ser sempre bom e verdadeiro! Ela deu vida ao boneco e prometeu que se ele se comportasse bem, o transformaria em um menino de verdade... A Fada fez questão de criar um amigo para Pinóquio, o Grilo Falante que foi nomeado a consciência de Pinóquio.
Na manhã seguinte, quando Gepeto acordou, ficou radiante de alegria ao perceber que seus desejos se tinham tornado realidade. Mandou então Pinóquio à escola, acompanhado pelo Grilo Falante — Pepe. No caminho …

O negrinho do pastoreio. Lenda Gaúcha.

Imagem
Como é mês de agosto e faz um pouco de frio, vou contar uma história que aconteceu nos pampas do sul do país, talvez em Pelotas. Começa não muito bem, pois nesses pampas havia um homem muito rico, mau e sovina: nem restos de comida ele dava. Seu filho era um guri que herdara sua ruindade. Esqueci de dizer que a história se passa no tempo da escravidão. E vou falar de um escravinho mais negro que carvão chamado exatamente de Negrinho. Não conhecia pai ou mãe e dizia que Nossa Senhora era sua madrinha. Apanhava do patrão e do filho que não era brincadeira.  O homem ruim tinha um cavalo baio muito bonito e veloz e um estancieiro vizinho desafiou-o dizendo: será que esse montar o baio sem sela: o Negrinho, é claro. Mas infelizmente o baio perdeu na corrida e o Negrinho levou uma surra que eu vou te contar. E como se não bastasse, mandaram-no tomar conta da tropilha do patrão. Era de noite, Negrinho estava todo machucado e com medo dos bichos que pudessem se achegar. Mas Nossa Senhora ajudo…

Cachos Dourados e os três Ursinhos.

ERA UMA VEZ uma família de ursos que vivia na floresta. Todos os domingos, o papá Urso, a mamã Ursa e o filho Ursinho, vestidos com as suas roupas mais bonitas, costumavam dar um passeio pelo bosque, antes da hora de almoço. A mamã Ursa, antes de sair, deixava já na mesa três taças de leite, para que assim que chegassem, pudessem logo sentar-se à mesa e comer. Passado pouco tempo da família de Ursos ter saído de casa, uma menina loira,Cachos dourados e as três cadeiras chamada Cachos Dourados, perdeu-se na floresta, e foi ter perto da casa dos três ursos. Como era muito curiosa e tinha fome, entrou na casa sem bater à porta. Lá dentro, não viu ninguém e, ao aproximar-se da mesa, viu as três taças de leite, que provou. Na taça grande, o leite estava muito quente, na média estava muito frio e na taça pequena, como o leite estava morno, ela bebeu-o. Depois, viu três cadeiras e, como estava cansada, experimentou-as. A primeira cadeira era muito grande e ela não se conseguia sentar; a segu…

Mil acessos em 12 dias de existência do blog, obrigada!!!

Imagem

DONA BARATINHA.

Imagem
Era uma vez uma baratinha que estava varrendo a casa e encontrou uma moeda. Achou que estava rica e já podia se casar. Arrumou-se toda, colocou uma fita no cabelo e foi para a janela. A quem passava ela perguntava: - Quem quer casar com a Dona Baratinha que tem fita no cabelo e dinheiro na caixinha? O primeiro bicho que passou foi o boi, que respondeu: - EU QUERO! Dona Baratinha perguntou: - E como é que você faz de noite? O boi respondeu: - MUUUUUUUU! Ela disse: - Ai não, muito barulho, assim eu não durmo, pode ir embora. E o boi foi embora. Em seguida veio passando o cavalo e Dona Baratinha perguntou: - Quem quer casar com Dona Baratinha que tem fita no cabelo e dinheiro na caixinha? O cavalo respondeu: - EU QUERO! Dona Baratinha perguntou: - E como é que você faz de noite? O cavalo respondeu: - IIIIIIIRRRRRIIIIII! Ela disse: - Ai não, muito barulho, assim eu não durmo, pode ir embora. E o cavalo foi embora. Foi passando então o carneiro e Dona Baratinha perguntou: - Quem quer casar com Dona Baratinha que …

A REPRODUÇÃO DE FÁBULAS. Para os professores.

Estamos vivendo numa época em que muitos pais deixam toda a responsabilidade da educação dos seus filhos nas mãos dos professores. Evidentemente, isso é um grande erro; mas não nos cabe julgar.                  A função educativa pode ser muito auxiliada com a reprodução de fábulas, na linguagem infantil. Ela ajuda desembaraçar a expressão oral e escrita do aluno, além de disciplinar-lhe a capacidade expositiva  e enriquecendo-lhe o vocabulário.                  Como sabemos, as fábulas são contos antigos, atribuídos a Esopo, que foi o maior fabulista grego e viveu cerca de 600 anos  antes de de Cristo. Esses contos tem como personagens principais os animais, e isto desperta grande interesse nas crianças. Fabulistas que vieram depois como, La Fontaine e o nosso querido Monteiro Lobato, reproduziram-nas, em linguagem atualizada. Além disso, também criaram suas belas fábulas.                  O professor deve sempre escolher um assunto interessante, oportuno, de acordo …

Reflexões da Família 07 - Hora de contar histórias?

Imagem
"Conte-me outra história, pai!"

 Você sabe que tipo de histórias minhas crianças mais gostam de ouvir?
Acredite ou não, são as histórias de quando minha esposa e eu éramos crianças. Coisas que fiz como quando, no acampamento de férias, morrendo de saudades escrevi todos os dias para casa suplicando à meus pais que buscassem-me. Eu acho que ela gosta para poder imaginar seu pai como uma criança.
Então, pense sobre sua infância e compartilhe suas lembranças. Isso fará de você uma nova criança junto de suas próprias crianças.
Lembre-se, sua família em primeiro lugar!
Por Mark Merril / Tradução SergioBarros

Fonte: http://www.cvdee.org.br/est_refamilia.asp

A importância do desenho para o desenvolvimento do seu filho.

Imagem
Seja para brincar ou para fazer uma tarefa escolar, o grafismo na infância está presente desde muito cedo. Basta que a criança consiga empunhar um giz de cera para que ela comece a se expressar. Veja como enriquecer ainda mais esse momento:
Por Bruna Menegueço.
Revista Crescer crianças desenhando.
De repente, o papel branco ganha rabiscos, formas e cores. A mão, ainda tão pequena, faz  os desenhos mais diferentes que você já viu na vida.
- Mãe, olha, fiz um jacaré!
Você, claro, sorri, diante daquele monte de traços malucos espalhados pelo papel. Toda criança gosta de desenhar e, apesar de parecer apenas uma brincadeira, isso faz parte do desenvolvimento do seu filho. Tanto é que uma pesquisa feita pelo Instituto de Psiquiatria da Universidade Kings College London, no Reino Unido, mostrou que o desenho pode ser um indicador da inteligência de cada um no futuro. Uso de tablets à noite atrapalha rendimento escolar das crianças, diz estudo. As meninas lideram mais que os meninos?
Para chegar a es…