Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2016

Importante para sua boa navegação pelo blog.

Importante para sua boa navegação pelo blog.

Razão x Emoção: Animação que inspirou o filme "Divertida Mente"

Imagem
Estava garimpando algo bem original e achei esse vídeo que pode ser usado para as crianças entre 9 e 12. 
O vídeo é auto explicativo, portanto vocês vão saber quando utilizá-lo e como.
Pode-se também fazer um link para conhecimento X amor por exemplo, explicando que um depende do outro para a evolução completa. Espero que gostem. :)))

MONTEIRO LOBATO PETER PAN A HISTÓRIA DO MENINO QUE NÃO QUERIA CRESCER. CONTADA POR DONA BENTA.

Imagem
Peter Pan.
Quem já leu as Reinações de Narizinho deve estar lembrado daquela noite de circo, no Pica-pau Amarelo, em que o palhaço havia desaparecido misteriosamente. Com certeza fora raptado. Mas raptado por quem? Todos ficaram na dúvida, sem saber o que pensar do estranho acontecimento. Todos, menos o gato Félix. Esse figurão afirmava que o autor do rapto só poderia ter sido uma criatura — Peter Pan. — Foi ele! — dizia o gato Félix. — Juro como foi Peter Pan. Mas quem era Peter Pan? Ninguém sabia, nem a própria Dona Benta, a velha mais sabida de quantas há. Quando Emília a ouviu declarar que não sabia, botou as mãos na cinturinha e: — Pois se não sabe trate de saber. Não podemos ficar assim na ignorância. Onde já se viu uma velha de óculos de ouro ignorar o que um gato sabe? Dona Benta calou-se, achando que era mesmo uma vergonha que o gato Félix soubesse quem era Peter Pan e ela não — e escreveu a uma livraria de S. Paulo pedindo que lhe mandasse a história do tal Peter Pan. Dias depois …

O Ganso de Ouro - Conto dos Irmãos Grimm.

Imagem
Fonte da imagem:http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=6458&picture=goose-rock-3
Era uma vez um homem que tinha três filhos. Todo mundo chamava o mais moço de João Bobo, e ria e zombava dele o tempo todo. Um dia, o mais velho resolveu ir à floresta cortar lenha. Antes de sair, a mãe deu a ele um bolo gostoso e uma garrafa de vinho, para matar a fome e a sede. Quando estava no meio do mato, ele encontrou um homenzinho cinzento, que deu bom-dia e disse: — Estou com tanta fome, e com tanta sede... Por favor, me dê um pedaço desse bolo que você tem no bolso e um pouco do seu vinho. O filho esperto respondeu: — Se eu lhe der meu bolo e meu vinho, não vai sobrar nada para mim. Deixe-me em paz. E deixou o homenzinho parado ali. Em seguida, começou a cortar uma árvore, mas num instante errou o alvo, acertou o braço com uma machadada e teve que ir para casa fazer curativo. Tudo por artes do homenzinho cinzento. Depois, o segundo filho também foi para a floresta fazer lenha, e a …

O Galo de Briga e a Águia. Linda fábula de Esopo.

Imagem
Fonte da imagem: http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=89710&picture=galo

Não existe superioridade, mas apenas uma ilusória, aparente, e temporária vantagem... Dois galos estavam disputando em feroz luta, o direito de comandar o galinheiro de uma chácara. Por fim, um põe o outro para correr e é autoproclamado o vencedor. O Galo derrotado afastou-se e foi se recolher num canto sossegado do galinheiro. O vencedor, ao contrário, tomado de orgulho e vaidade, voando até o alto de um muro, bateu as asas e exultante cantou com toda sua força. Uma Águia, que pairava ali perto em busca de alimento, lançou-se sobre ele e com um golpe certeiro levou-o preso em suas poderosas garras. O Galo derrotado saiu do seu canto, e daí em diante reinou absoluto livre de concorrência.
Moral da História:
Quem se orgulha de uma conquista e humilha o seu adversário, mais cedo ou mais tarde vai sofrer as consequências dos seus atos.
Conversando sobre a história:
Tudo é passageiro na vida, posições …

Cantigas de roda para festas juninas. Danças folclóricas gaúchas.

Imagem
Fonte da imagem:http://pt.slideshare.net/SimoneHelenDrumond/apostila-quem-canta-seus-males-espanta-vol1

Pezinho.
Folclóricas Gaúchas.
Ai bota aqui, ai bota ali o teu pezinho O teu pezinho bem juntinho com o meu Ai bota aqui, ai bota ali o teu pezinho O teu pezinho, o teu pezinho ao pé do meu
E depois não vá dizer Que você já me esqueceu [2x]
Ai bota aqui, ai bota ali o teu pezinho O teu pezinho bem juntinho com o meu Ai bota aqui, ai bota ali o teu pezinho O teu pezinho, o teu pezinho ao pé do meu
E no chegar desse teu corpo Ai um abraço quero eu [2x]
Ai bota aqui, ai bota ali o teu pezinho O teu pezinho bem juntinho com o meu Ai bota aqui, ai bota ali o teu pezinho O teu pezinho, o teu pezinho ao pé do meu
Agora que estamos juntinhos Dá cá um abraço e um beijinho [2x]
Ai bota aqui, ai bota ali o teu pezinho O teu pezinho bem juntinho com o meu Ai bota aqui, ai bota ali o teu pezinho O teu pezinho, o teu pezinho ao pé do meu.


Para ver o vídeo do Pezinho clique AQUI

Canções Populares.
“Capel…

Deus está falando com você. Prece indígena.

Imagem
Fonte da imagem:http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=154384&picture=borboleta-em-um-dedo
Um homem sussurrou: Deus fale comigo. E um rouxinol começou a cantar Mas o homem não ouviu.
Então o homem repetiu: Deus fale comigo! E um trovão ecoou nos céus Mas o homem foi incapaz de ouvir.
O Homem olhou em volta e disse: Deus deixe-me vê-lo E uma estrela brilhou no céu Mas o homem não a notou.
O homem começou a gritar: Deus mostre-me um milagre E uma criança nasceu Mas o homem não sentiu o pulsar da vida.
Então o homem começou a chorar e a se desesperar: Deus toque-me e deixe-me sentir que você está aqui comigo… E uma borboleta pousou suavemente em seu ombro O homem espantou a borboleta com a mão e desiludido Continuou o seu caminho triste, sozinho e com medo.

(Prece Indígena - Tradução e adaptação do Livro By San Etioy)

O SOLDADO E O DIABO.

Imagem
Fonte da imagem:https://pixabay.com/pt/sentinela-377523/
Contam que, em outros tempos, há milhares e milhares de anos, quando nada existia do que hoje existe, viveu em certa cidade um rico fidalgo, o barão de Macário, tão poderoso e opulento, quão orgulhoso e mau. Uma tarde, achava-se ele no seu escritório, contemplando avaramente a grande fortuna que acumulara, roubando aos pobres, às viúvas e aos órfãos, emprestando dinheiro a juros elevados, quando, de súbito, se sentiu tocado por um raio de bondade, até então jamais experimentado pelo seu coração empedernido. Lembrou-se que já estava velho; e que, com aquela idade, nunca fizera o menor benefício a pessoa alguma, sem ter dado jamais uma única esmola sequer. Arrependeu-se, então, do seu passado. Nessa mesma tarde, Augusto, um infeliz sapateiro, seu vizinho, que vivia na maior pobreza, carregado de filhos, veio bater à porta, suplicando que lhe emprestasse cem mil-réis, para se ver livre de uma penhora, e poder comprar o material que pr…

Os sete corvos. Um conto de fadas dos Irmãos Grimm.

Imagem
Fonte da imagem: http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=16218&picture=crianca-e-da-lua
Um conto de fadas dos Irmãos Grimm.
Um homem tinha sete filhos e nunca tinha uma filha, por mais que desejasse. Até que, finalmente, sua mulher lhe deu esperanças de novo e, quando a criança veio ao mundo, era uma menina. A alegria foi enorme, mas a criança era franzina e miúda e, por causa dessa fraqueza, foi preciso que lhe dessem logo os sacramentos. O pai mandou um dos filhos ir correndo até a fonte, buscar água para o batismo. Os outros seis foram atrás do irmão e, como cada um queria ser o primeiro a puxar a água para cima, acabaram deixando o balde cair no fundo do poço. Aí eles ficaram assustados, sem saber o que deviam fazer, e nenhum dos sete tinha coragem de voltar para casa. Foram ficando por lá, sem sair do lugar. Como estavam demorando muito, o pai foi ficando cada vez mais impaciente e disse: - Na certa ficaram brincando e se esqueceram de voltar, aqueles moleques l…

Iara, a mãe d‘água. Folclore brasileiro.

Imagem
Iara, a mãe d‘água, provavelmente uma aculturação europeia com raízes nas sereias, é uma figura mitológica difundida entre os indígenas e caboclos após o século XVII. Descrita como uma mulher muito bonita, ela atrai os pescadores ou quem quer que se aproxime do rio ou da praia à noite, levando a afogar-se na busca por diversão. Meio peixe e meio mulher, apresenta-se penteando os cabelos ou cantando, atrai quem a observa pelo efeito hipnótico de sua imagem ou canto, fazendo com que, na ânsia de alcançá-la, o observador mergulhe nas profundezas das águas, morrendo afogado. Em algumas comunidades, tem a reputação de protetora das águas e da pesca.

Autora: ELITA DE MEDEIROS – Domínio Público.

Chuva e sol. Leia poesia para sua criança.

Imagem
Fonte da imagem:http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=93839&picture=a-menina-de-sorriso
Junta ao pendor do abismo e suster-se sozinha; quase a tombar no mal, lutar vencendo o mal, é difícil, é belo! Eu vi exemplo igual na ingênua candidez de linda criancinha.
Disse a mamãe, um dia, à loura Georgeana: — Se até anoitecer, eu não te ouvir chorar, nem dar gritos, prometo, amor, ir-te comprar uma nenê gentil, d'olhos de porcelana.
Apenas isto ouviu, a bela pequenita dança e salta a cantar, com tal sofreguidão, que entontecendo, cai, ao comprido, no chão. Esqueceu-lhe a promessa. Ei-la que chora e grita.
— Prantos? adeus boneca. Ouvindo esta ameaça, ergue-se Georgeana e diz muito ligeira, mudando o choro em riso, e com imensa graça. — Chorei... por brincadeira...


Adelina Lopes Vieira – Domínio Público.

A Gralha Azul. Folclore brasileiro.

Imagem
Fonte da imagem:http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=65814&picture=grua-azul-em-santuario
Ave das regiões serranas, à gralha azul atribui-se a expansão das florestas de araucária, a qual, semeada pelo pássaro, estendeu-se por boa parte da região sul. O pássaro planta o pinhão depois de tirar-lhe a cabeça, pois ela apodrece o fruto, e planta-o com a parte mais fina para cima, facilitando a brotação. A lenda da gralha azul conta sobre um caçador que, após matar uma destas aves, desmaia quando o estilhaço da pólvora volta para seu rosto e tem um sonho ou visão em que a gralha aparece, contando o que faz e fazendo-o pensar que, pela lei, o caçador é impedido de matar seu semelhante, mas a gralha azul, que cuida da propagação da floresta de pinheiros, é morta sem qualquer piedade.

Fonte: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ea000874.pdf

Tema: 

proteção aos animais, ecologia, cuidados com a natureza. 

Para pintar:

Fonte da imagem: https://pixabay.com/pt/p%C3%A1ss…

Alice no País das Maravilhas.Capítulo 10 A dança da lagosta.

Imagem
A Falsa Tartaruga suspirou profundamente e enxugou os olhos com o dorso de uma patinha. Ela olhou para Alice e tentou falar, mas, durante um ou dois minutos, soluços impediram-na de dizer qualquer coisa. “Parece que ela tem um osso na garganta”, disse o Grifo e pôs-se a caminhar mexendo-se pra lá e pra cá, lançando-se para trás. Afinal a Falsa Tartaruga recobrou a voz e, com lágrimas escorrendo pelas faces, recomeçou: “... Você talvez não tenha vivido muito no fundo do mar...” (“Não mesmo”, disse Alice) “... e talvez não tenha sido apresentada jamais a uma lagosta...” (Alice começou a dizer “Uma vez eu experimentei...”, mas conteve-se rapidamente e respondeu “Não, nunca”) “... daí você não deve ter ideia de que coisa deliciosa que a Dança da Lagosta é!” “Não, realmente”, disse Alice. “Que tipo de dança é?” “Bem”, disse o Grifo, “você primeiro forma uma fila na praia...”

“Duas filas!”, gritou a Falsa Tartaruga. “Focas, tartarugas, salmões, e todo o resto então, depois de tirar todas as água…